Experimentei o Bike Rio

11fev12

Aplicativo Bike Rio

Finalmente tive a oportunidade de experimentar o sistema de aluguel de bicicletas do Rio de Janeiro que divide muitas opiniões. Há quem diga que é uma cópia barata dos modelos europeus, outros defendem que a iniciativa deveria ser adotada em todo Brasil. Não pretendo entrar nesta discussão, e sim experimentar o serviço utilizando o aplicativo para iOS (iPhone), disponível também para Android.

Ao invés de ficar enchendo lingüiça explicando como funciona o serviço, vou mostrar na prática. A primeira coisa que você deve fazer é baixar o aplicativo gratuito. Se você usa iPhone, acesse este link direto para a App Store; mas se você usa Android, se vire e procure na Android Market.

Aplicativo Bike Rio na App Store

Após instalado, aparecerá o seguinte ícone:

Ícone do Bike Rio

O primeiro passo é fazer o cadastro para ter acesso ao sistema. Entre com o número de sua linha e a senha:

Acessando o Bike Rio

Para retirar a bicicleta é preciso comprar o passe. Existem dois tipos: o diário que tem validade de 24h e custa R$ 5,00; e o mensal que é válido por 30 dias e custa R$ 10,00. Uma das diferenças é que o mensal é auto-renovável, enquanto o diário é temporário. No meu caso, optei pelo diário.

Informe os dados do seu cartão de crédito, mas lembre que cartão de crédito não é seguro 😉

Comprando o passe

Feito, passe comprado! Se precisar retirar duas bikes ao mesmo tempo, será que consigo comprar dois passes?!

Passe comprado

Consigo sim! Comprei um para mim e outro para minha esposa.

Dois passes comprados

O aplicativo oferece um mapa que mostra todas as estações disponíveis, indicando as mais próximas de você via GPS. Optei pela estação 6: Santa Clara:

Mapa com as estações

Todas estações possuem uma placa, indicando o seu número. Olha esta foto de outra estação, a 37: Vasco da Gama:

Placa da estação

Fui até a estação 6, abri o aplicativo, acessei um dos passes e digitei o número da estação:

Escolhendo a estação

O aplicativo exibiu todas as posições disponíveis para retirada da bike. Escolhi a posição 14:

Escolhendo a bike

Confirmei os dados para retirada:

Confirmação de retirada

Aguardei a geringonça liberar a bike, puxei ela da trava e só então confirmei. Repeti os passos para retirar a segunda bicicleta.

Aguardando a liberação para retirada

Após a retirada, a bike fica disponível por 60 min. Caso este limite seja ultrapassado, será cobrado R$ 5,00 por hora excedente. Para evitar este inconveniente, você deve devolver a bike (basta encaixá-la na estação) e aguardar 15 min. Isto vale para passes diários ou mensais. Para mais detalhes, acesse o site oficial do Bike Rio.

No final das contas gostei na iniciativa. Aqui em Salvador ainda contamos com poucas ciclovias, as que existem são desconectadas e precárias. Quem sabe um dia os governantes invistam mais neste tipo de transporte por aqui. Só falta inteligência e boa vontade. A Copa do Mundo 2016 vem aí, quero só ver como essa zorra deste trânsito bizarro vai ficar!

Anúncios


6 Responses to “Experimentei o Bike Rio”

  1. 1 Rafael Soto

    Não sabia que o rio tinha um serviço deste tipo…. awesome!!!!

  2. 2 Claudia Tedesco

    Uma ótima parceiria da prefeitura com o itau, possibilitando utilizar a ciclovia que o Rio de janeiro possui e conhecer a cidade de forma saudável e com preço massa! Um ponto positivo foi que fizemos o passeio saindo de copacabana passando por botafogo, ipanema e seguindo para lagoa sem necessidade de sair da bicicleta ou grandes paradas já que a ciclovia nao tem interupcoes.
    Gostaria muito que Salvador tivesse um BikeSSA, mas primeiramente a cidade teria que oferecer uma estrutura melhorar para pedalar.

  3. 3 Roberiton

    Poderíamos ter marcado um pedal juntos. Vocês passaram em frente ao meu trabalho na Av Atlântica. Na próxima vez me avise seu “saco+ana….”rsrsr
    Abração.

  4. Otimo Texto!
    Quando vier para o RJ avisa.
    abraço

  5. 5 Roberto da Silva

    Prezados senhores,

    o sistema quase só tem estações vazias. Quando há bicicletas, estão quebradas ou não são liberadas de jeito nenhum porque o sistema não detecta sua presença no local onde ela está presa. Divulgam que são 600 bicicletas para 58 estações. Deveria haver em média 10 bicicletas por estação: nunca vi mais que oito em nenhuma estação, nem a noite nem em dias de chuva. Por exemplo, ontem (29/12 por volta de 20:00) estava chovendo, mas, mesmo assim, a estação do Rio Sul só tinha três bicicletas. Eu tinha passado lá mais cedo e só havia uma bicicleta, com o cabo do freio quebrado. É um engodo, mesmo. Comprei o passe mês passado, já está expirando e só consegui usar três vezes, duas delas tendo de telefonar 4 vezes pelo celular para liberar uma bicicleta. Enfim, não pretendo renovar meu passe e não recomendo que ninguém entre nessa.


  1. 1 Introspectiva 2012 « Cleverson Sacramento

E aí, o que você achou? Comenta aí...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s